Topo
Blog do Mauro Cezar

Blog do Mauro Cezar

Categorias

Histórico

Flamengo joga mal, mas vence um Botafogo que se apequena com Valentim

Mauro Cezar Pereira

08/11/2019 01h57

O técnico do Botafogo, Alberto Valentim, se coloca entre a bola e Pablo Marí – Reprodução TV

Eram 29 minutos do segundo tempo quando a bola saiu pela lateral e o zagueiro Pablo Marí correu para recolocá-la em jogo. Ao passar próxima da área técnica do Botafogo, o treinador alvinegro, Alberto Valentim, a empurrou entre as próprias pernas e depois se colocou entre ela e o atleta do Flamengo, com o claro intuito de retardar o reinício da peleja. Essa era a proposta do comandante botafoguense, que saiu do Avaí na zona do rebaixamento e nesta rodada voltou a ela com a equipe carioca.

Depois da partida, Jorge Jesus criticou a forma como os botafoguenses atuaram. Deve ter estranhado a mudança no time, capaz de jogar e dificultar o Flamengo no primeiro turno, sob o comando de Eduardo Barroca. Com Valentim foi um Botafogo muito empenhado, às vezes violento e pouco inteligente. Acumulava cartões amarelos desde o pontapé inicial, o que resultou na expulsão de Luiz Fernando antes dos 10 minutos do segundo tempo. O jeito de jogar da equipe mudou, para a pior, é só piora.

Valentim e Marí discutem depois que o técnico se envolveu entre o zagueiro e a bola – Reprodução TV

Antes de Valentim voltar ao Botafogo o time era 13º e somava 30 pontos, eram cinco acima da zona de rebaixamento. Seis jogos depois, são 33 e a equipe entre as quatro últimas. Dos 18 pontos que disputou, ganhou três, 16,6% de aproveitamento. Na derrota para o Flamengo foram registrados a pior posse de bola (33%) e o menor número de passes trocados (115) dos alvinegros em todo o campeonato. Pesou o cartão vermelho, mas mesmo no primeiro tempo, com 11 contra 11, foram 36% e somente 81 passes certos.

Ao final o técnico botafoguense elogiou o empenho dos atletas. Poderia rasgar elogios aos torcedores, que apoiaram, e muito. Mas isso não basta. Se com o Barroca, mesmo com um time limitado, era um Botafogo que tentava jogar (e jogava), vencia, pontuava, mas que entrou em fase negativa, agora trata-se de uma equipe apenas… aguerrida. O esforço ganha mais elogios quando um time não tem muito mais a oferecer e, pelo jeito, com o atua treinador essa é a (triste) realidade alvinegra. O Botafogo se apequena com Valentim!

O Flamengo não jogou bem. Tivesse feito boa partida, venceria mais facilmente, dada a enorme diferença entre os rivais. Sim, rivais históricos, mas que se afastam ainda mais quando botafoguenses se contentam com esforço, faltas, luta. Falta futebol. E esse mesmo time, com outro treinador, já jogou bola. Com Barroca eram 39% de aproveitamento, apesar das quatro derrotas seguidas que o derrubaram. Índice, hoje, superior ao do Ceará, 13º colocado e três pontos acima da zona da degola. Um drama!

 

follow us on Twitter

follow me on youtube

follow me on facebook

follow us on instagram

follow me on google plus

Sobre o autor

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN e da Rádio Bandeirantes de São Paulo.

Sobre o blog

Trazer comentários sobre futebol e informações, eventualmente em primeira mão, são os objetivos do blog. O jornalista pode "estar" comentarista, mas jamais deixará de ser repórter.

Blog do Mauro Cezar