PUBLICIDADE
Topo

VAR consumiu 43 minutos de futebol na fase de grupos da Copa América

Mauro Cezar Pereira

27/06/2019 04h00

O VAR foi utilizado em 13 dos 18 jogos da fase de grupos da Copa América

O VAR (sigla em inglês para Video Assistant Referee) consumiu quase 43 minutos nos 18 jogos da fase de grupos na Copa América. Como o vídeo foi utilizado 13 partidas, a média foi de aproximadamente três minutos e meio. São 19 intervenções até aqui no certame da Conmebol, o que derruba a média para algo próximo a dois minutos e meio por utilização do recurso.

Foram duas vezes em oito pelejas: Uruguai x Equador, Venezuela x Peru, Brasil x  Bolívia, Bolívia x Peru, Brasil x Venezuela, Colômbia x Catar, Colômbia x Paraguai, Equador x Japão. O VAR entrou em ação três vezes em Paraguai x Catar e quatro na goleada do Brasil sobre o Peru.

O levantamento é do jornalista e administrador esportivo Alexandre Siqueira — @ssicca1 no Twitter. Ele está acompanhando e registrando cada decisão dos árbitros com utilização do VAR na competição.

 

follow us on Twitter

follow me on youtube

follow me on facebook

follow us on instagram

follow me on google plus

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN e da Rádio Bandeirantes de São Paulo.

Sobre o blog

Trazer comentários sobre futebol e informações, eventualmente em primeira mão, são os objetivos do blog. O jornalista pode "estar" comentarista, mas jamais deixará de ser repórter.