Topo
Blog do Mauro Cezar

Blog do Mauro Cezar

Categorias

Histórico

Absurda, inversão de mando nem sempre desperta mesmas reações. Mas deveria

Mauro Cezar Pereira

2015-05-20T19:18:23

15/05/2019 18h23

Em 2018 o já rebaixado Paraná Clube tentou levar alguns de seus últimos jogos para fora de Curitiba, com o intuito de ganhar algum dinheiro, já que sua torcida estava desinteressada com a má campanha da equipe, então com passaporte carimbado para a Série B.  Mudou apenas o duelo contra o Palmeiras para Londrina, onde o estádio do Café, pintado de verde e branco, viu o empate em 1 a 1. Prática comum há anos, mas que nem sempre desperta reações de indignação como a decisão do CSA de mudar para Brasília o confronto com o Flamengo.

Óbvio que o time alagoano deveria receber os rubro-negros em Maceió, mas a omissão da CBF permite isso, como tolerou a troca de local do jogo acima citado ano passado, e há duas rodadas o Vasco enfrentando o Corinthians em Manaus. A Arena da Amazônia recebeu quantidade de corintianos muito superior aos que estariam em São Januário se o cotejo fosse mantido no Rio de Janeiro. Evidentemente o tricampeão paulista saiu em vantagem, outros times que irão ao estádio vascaíno não terão a mesma oportunidade. Essas mudanças geram desequilíbrio técnico.

Curiosas são as reações de segmentos da imprensa esportiva, que mal se manifestaram sobre a mudança de local de Vasco x Corinthians e também não se incomodaram tanto com Paraná x Palmeiras em Londrina, ano passado (vídeo acima). Em outubro de 2016, a CBF interveio e vetou tais alterações nas últimas cinco rodadas do campeonato. Com isso o América não conseguiu tirar de Belo Horizonte o confronto com o Flamengo na 35ª rodada. Mas o time mineiro havia levado o cotejo com o Palmeiras para Londrina na 29ª. Pior foi em 2017, quando vetou todas as mudanças de local, algo injusto.

E por que injusto? Digamos que o Flamengo leve um jogo com seu mando para Brasília, ou uma cidade nordestina, onde tem muitos torcedores, por opção financeira ou desejo de atender à demanda dos rubro-negros de outras regiões. O time carioca atuando contra um de outro Estado fora do Rio consegue manter mando de campo, pois é capaz de lotar os estádios com sua própria torcida. O mesmo ocorreria se o Palmeiras fosse a Londrina, por exemplo, como mandante numa rodada de Allianz Parque sem futebol devido a um evento como os shows musicais. Nesses casos não há inversão.

Resolver é simples, basta acrescentar ao regimento do campeonato um item: "se o clube mandante modificar o local da partida, a torcida do time visitante não poderá adquirir mais do que 10% dos ingressos, como estabelece o regulamento da competição". Automaticamente desistiriam, pois economicamente deixaria de ser interessante para os responsáveis pela alteração. Se o Athletico impede a presença de torcedores adversários na Arena da Baixada, por que em Brasília não poderiam vetar os do Flamengo caracterizados como tal no jogo com mando do CSA? 

 

follow us on Twitter

follow me on youtube

follow me on facebook

follow us on instagram

follow me on google plus

Sobre o autor

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

Contato: maurocezarblog@uol.com.br

Sobre o blog

Trazer comentários sobre futebol e informações, eventualmente em primeira mão, são os objetivos do blog. O jornalista pode "estar" comentarista, mas jamais deixará de ser repórter.

Mais Blog do Mauro Cezar